Atuação

Visão

Um Sistema Financeiro Nacional sólido, moderno e eficiente que promova a ética e a transparência nas relações entre instituições financeiras, bem como entre estas e a sociedade e o Estado, com vistas ao desenvolvimento econômico e social do Brasil, harmônico em todas as regiões do país.

Missão

Orientar, coordenar, promover, defender e representar os interesses das instituições financeiras no plano nacional, com vistas ao fortalecimento e ao desenvolvimento das suas atividades, cooperando para o desenvolvimento econômico e social do país, observados os princípios da livre iniciativa e da economia de mercado, voltadas para os interesses da coletividade.

Objetivos

São objetivos da Confederação Nacional das Instituições Financeiras - CNF:
• orientar, coordenar, defender e representar os interesses das instituições financeiras a nível nacional;
• colaborar para o fortalecimento e desenvolvimento harmônico das instituições financeiras em todas as regiões do país;
• cooperar para a evolução econômica do país, observados os princípios da livre iniciativa e da economia de mercado;
• patrocinar a solidariedade entre as categorias econômicas do sistema financeiro, compondo e harmonizando seus interesses;
• promover, perante os diversos setores de atividade econômica do País, órgãos de comunicação, usuários dos serviços das entidades filiadas e público em geral, a divulgação das atividades do sistema financeiro nacional no contexto social e no atendimento aos interesses da coletividade.

Prerrogativas

Segundo seu Estatuto Social a CNF configura-se como associação de grau superior, que congrega as federações ou similares que agrupam as entidades de classe representativas das instituições financeiras, formadas em todo o território nacional. As prerrogativas da Confederação Nacional das Instituições Financeiras são as dispostas no Artigo 4º. De seu Estatuto Social.

São prerrogativas da Confederação Nacional das Instituições Financeiras:
• representar, perante as autoridades competentes, os interesses gerais das instituições financeiras;
• eleger ou designar representantes das instituições financeiras junto aos órgãos de jurisdição nacional, sempre que envolver o interesse geral do Sistema Financeiro, ressalvadas as indicações especificas da competência de cada filiada;
• colaborar com o Estado, como órgão técnico e consultivo, no estudo e solução dos problemas que se relacionem com as atividades e categorias econômicas coordenadas;
• arrecadar as contribuições sindicais na forma da lei;
• celebrar convenção ou contrato coletivo de trabalho na área de sua competência legal;
• propor ações coletivas em nome dos associados;
• representar os seus associados em qualquer instância ou tribunal, propondo ação direta de inconstitucionalidade, mandado de segurança coletivo ou outra medida judicial cabível, nos termos da legislação vigente.